30% de todas as mulheres do mundo sofrerão com algum problema relacionado a calvície após os 50 anos de idade

Nem todo mundo sabe, mas o cabelo envelhece como toda parte do corpo. A ação do tempo faz com que o diâmetro do cabelo diminua, os fios percam a velocidade de crescimento, tornam-se mais secos e quebradiços, além de perderem a coloração natural, o que pode aparentar uns anos a mais do q …

Nem todo mundo sabe, mas o cabelo envelhece como toda parte do corpo. A ação do tempo faz com que o diâmetro do cabelo diminua, os fios percam a velocidade de crescimento, tornam-se mais secos e quebradiços, além de perderem a coloração natural, o que pode aparentar uns anos a mais do que revela o RG. A chegada da menopausa em algumas mulheres pode até desencadear a chamada alopecia senil, termo médico utilizado para a temida calvície.

angiologista: Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia …

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) 30% de todas as mulheres do mundo sofrerão com algum problema relacionado a calvície após os 50 anos de idade.  Entenda a causa Um estudo divulgado pelo Journal of the American Academy of Dermatology revelou que a mulher fica mais suscetível a ter calvície após a menopausa, porque durante este período os níveis de estrógenos no organismo diminuem. O angiologista e especialista em LEDterapia capilar, Dr.

Álvaro Pereira explica de maneira simplificada que o estrógeno é um hormônio com características anabolizantes, ou seja, aumenta a produtividade de algumas células. As células do folículo piloso que fabricam o pelo, respondem muito bem ao estrógeno; é como se ele fosse um adubo para os cabelos, ou seja, quanto menor a produção do mesmo, mais os cabelos tornam-se fracos, quebradiços provocando a queda.

angiologista: Formas de tratamento Para dar uma …

Formas de tratamento Para dar uma mãozinha quando o assunto é queda de cabelo na menopausa existem algumas boas opções: Dermocosméticos capilares: Shampoos, condicionadores e hidratantes capilares de todas as marcas comerciais que se dedicam ao tratamento dos cabelos em envelhecimento contêm concentrações maiores de componentes hidratantes, óleos essenciais, algumas vitaminas e fortalecedores dos fios. Se for fazer uso desses dermocosméticos, preferir uma marca conceituada ou indicada por um profissional de confiança.

angiologista: Vale optar por produtos que especifiquem …

Vale optar por produtos que especifiquem no rótulo: tratamento para cabelos envelhecidos, menopausa, cabelos brancos e etc. A ANVISA exige comprovação de eficácia para que o rótulo contenha essas indicações, então é possível confiar. Multivitamínicos para a terceira idade: Os multivitamínicos para a terceira idade também ajudam bastante. Alguns deles são mais indicados para a pele, unhas e cabelos. Aqui também vale a regra de se atentar à indicação do rótulo. Minoxidil: A solução tópica de Minoxidil é um dos principais medicamentos recomendados nas diversas formas de queda capilar.

angiologista: Não se sabe exatamente como o …

Não se sabe exatamente como o Minoxidil consegue estimular o crescimento capilar, ainda que pesquisas tenham comprovado os efeitos satisfatórios  do tratamento. Acredita-se que o efeito vasodilatador da droga aumente a taxa de crescimento capilar. Pesquisas indicam que os pacientes começam a ver resultados com o uso do medicamento entre 6 e 8 semanas, com resposta máxima após 24 meses. LEDterapia de uso domiciliar no tratamento da queda de … … cabelo: Uma opção muito interessante que vem ganhando cada vez espaço no mercado é a LEDterapia capilar home-device.

angiologista: Esta tecnologia vem se tornando uma …

Esta tecnologia vem se tornando uma tendência mundial nos tratamentos de diversos problemas capilares. Os cientistas constataram que a radiação emitida por LEDs estimulam as células tronco do folículo piloso e os fios voltam a crescer plenamente se o uso for contínuo e regrado.  Para quem pretende investir, o tratamento vem no formato de bonés e capacetes de LED da Capellux certificados pela ANVISA e com ótimos resultados aos pacientes. Na prática, com apenas 12 minutos diários de uso do boné, ou 7 minutos diários de uso do capacete, o folículo piloso converte a luz vermelha em energia que estimula a circulação sanguínea do couro cabeludo, aumenta a ingestão e otimização de nutrientes no cabelo, resultando em fios mais bonitos, vistosos, encorpados, além de reparar danos, combatendo o ressecamento e a queda capilar.


30% de todas as mulheres do mundo sofrerão com algum problema relacionado a calvície

Além da queda capilar, especialista revela que fios envelhecem com a chegada da menopausa e explica principais formas de tratamento Nem todo mundo sabe, mas o cabelo envelhece como toda parte do corpo. A ação do tempo faz com que o diâmetro do cabelo diminua, os fios percam a velocidade de c …

Além da queda capilar, especialista revela que fios envelhecem com a chegada da menopausa e explica principais formas de tratamento Nem todo mundo sabe, mas o cabelo envelhece como toda parte do corpo. A ação do tempo faz com que o diâmetro do cabelo diminua, os fios percam a velocidade de crescimento, tornam-se mais secos e quebradiços, além de perderem a coloração natural, o que pode aparentar uns anos a mais do que revela o RG. A chegada da menopausa em algumas mulheres pode até desencadear a chamada alopecia senil, termo médico utilizado para a temida calvície.

angiologista: Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia …

Segundo a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) 30% de todas as mulheres do mundo sofrerão com algum problema relacionado a calvície após os 50 anos de idade. Entenda a causa Um estudo divulgado pelo Journal of the American Academy of Dermatology revelou que a mulher fica mais suscetível a ter calvície após a menopausa, porque durante este período os níveis de estrógenos no organismo diminuem. O angiologista e especialista em LEDterapia capilar, Dr.

Álvaro Pereira explica de maneira simplificada que o estrógeno é um hormônio com características anabolizantes, ou seja, aumenta a produtividade de algumas células. As células do folículo piloso que fabricam o pelo, respondem muito bem ao estrógeno; é como se ele fosse um adubo para os cabelos, ou seja, quanto menor a produção do mesmo, mais os cabelos tornam-se fracos, quebradiços provocando a queda.

angiologista: Formas de tratamento Para dar uma …

Formas de tratamento Para dar uma mãozinha quando o assunto é queda de cabelo na menopausa existem algumas boas opções: Dermocosméticos capilares: Shampoos, condicionadores e hidratantes capilares de todas as marcas comerciais que se dedicam ao tratamento dos cabelos em envelhecimento contêm concentrações maiores de componentes hidratantes, óleos essenciais, algumas vitaminas e fortalecedores dos fios. Se for fazer uso desses dermocosméticos, preferir uma marca conceituada ou indicada por um profissional de confiança.

angiologista: Vale optar por produtos que especifiquem …

Vale optar por produtos que especifiquem no rótulo: tratamento para cabelos envelhecidos, menopausa, cabelos brancos e etc. A ANVISA exige comprovação de eficácia para que o rótulo contenha essas indicações, então é possível confiar. Multivitamínicos para a terceira idade: Os multivitamínicos para a terceira idade também ajudam bastante. Alguns deles são mais indicados para a pele, unhas e cabelos. Aqui também vale a regra de se atentar à indicação do rótulo. Minoxidil: A solução tópica de Minoxidil é um dos principais medicamentos recomendados nas diversas formas de queda capilar. Não se sabe exatamente como o Minoxidil consegue estimular o crescimento capilar, ainda que pesquisas tenham comprovado os efeitos satisfatórios do tratamento.

angiologista: Acredita-se que o efeito vasodilatador da …

Acredita-se que o efeito vasodilatador da droga aumente a taxa de crescimento capilar. Pesquisas indicam que os pacientes começam a ver resultados com o uso do medicamento entre 6 e 8 semanas, com resposta máxima após 24 meses. LEDterapia de uso domiciliar no tratamento da queda de cabelo: Uma opção muito interessante que vem ganhando cada vez espaço no mercado é a LEDterapia capilar home-device. Esta tecnologia vem se tornando uma tendência mundial nos tratamentos de diversos problemas capilares. Os cientistas constataram que a radiação emitida por LEDs estimulam as células tronco do folículo piloso e os fios voltam a crescer plenamente se o uso for contínuo e regrado. Para quem pretende investir, o tratamento vem no formato de bonés e capacetes de LED certificados pela ANVISA e com ótimos resultados aos pacientes.

angiologista: Na prática, com apenas 12 minutos …

Na prática, com apenas 12 minutos diários de uso do boné, ou 7 minutos diários de uso do capacete, o folículo piloso converte a luz vermelha em energia que estimula a circulação sanguínea do couro cabeludo, aumenta a ingestão e otimização de nutrientes no cabelo, resultando em fios mais bonitos, vistosos, encorpados, além de reparar danos, combatendo o ressecamento e a queda capilar. Dr. Álvaro Pereira – Angiologista formado pela FMUSP em 1978, com residência em Cirurgia Vascular no HCFMUSP, Especialista em oferecer tratamentos capilares com LEDterapia, Doutorado em Cirurgia Vascular na Divisão de Bioengenharia do INCOR – HCFMUSP, pós-doutorado no B&

angiologista: H Hospital – Harvard. Cosmedical Empresa …

H Hospital – Harvard. Cosmedical Empresa especializada em oferecer tratamentos seguros e inovadores aos seus clientes, desde terapia capilar à recuperação de musculatura pós esforço físico com o intuito de promover qualidade de vida, sem dor e sem esforço, tudo ao toque de um botão. Atuando com a alta tecnologia e a eficácia da fotobiomodulação por meio de LEDs, a empresa se tornou referência em equipamentos home device. A COSMEDICAL fabrica, comercializa e importa equipamentos para a saúde, desde 2008.


Gente Que Acontece

Thiago Cavalcanti [email protected]

angiologista: com “Ama os teus inimigos, porque …

com “Ama os teus inimigos, porque eles falam-te dos teus defeitos” Benjamin Franklin Sexta recheada de muitos parabéns para… O advogado Rodrigo Câmara, Marta Paiva, Silvin …

Thiago Cavalcanti [email protected]

angiologista: com “Ama os teus inimigos, porque …

com “Ama os teus inimigos, porque eles falam-te dos teus defeitos” Benjamin Franklin Sexta recheada de muitos parabéns para… O advogado Rodrigo Câmara, Marta Paiva, Silvinha Arruda Câmara, João Pedro Flor Tinoco, Gustavo Bastos, o empresário Rafael Abreu, o arquiteto Claudinê Lima, a médica ginecologista Sandra Dias e sua filha Camila. Chá De Sumiço Antes fortemente atuantes, principalmente nas redes sociais, o período da pandemia parece ter afetado em cheio a figura do coach.

Alguns simplesmente desapareceram por completo.

angiologista: Há quem diga que o sumiço …

Há quem diga que o sumiço tem explicação. Pura falta de conteúdo e experiência para atuar em um momento tão adverso. Diário Oficial Do Estado trouxe a publicação do decreto 29.873, de 28 de julho de 2020, que autoriza a Secretaria de Tributação do RN a modificar o calendário de pagamento do IPVA 2020 dos contribuintes potiguares. Em resumo, que o prazo para pagamento da taxa será prorrogado e não haverá incidência de juros e multas sobre as parcelas já vencidas. …A publicação é resultado de 3 meses de diálogo entre a vereadora Nina (PDT) e o presidente da Associação dos Motoristas por Aplicativos do RN, Evandro Henrique, junto ao Governo do Estado, que trataram sobre benefícios voltados para a população durante o período da pandemia.

angiologista: Formalidade Tem condomínio alinhado no Tirol, …

Formalidade Tem condomínio alinhado no Tirol, em que os barracos e arengas acontecem no salto. Os condôminos não usam a ferramenta do WhatsApp, mas sim E-mail, sempre tratando os proprietários pelos títulos e mestrados, já que boa parte é da turma do jaleco. Gente chique é outra coisa! Espiritismo A editora Intrínseca, lança em agosto, a primeira biografia escrita pela premiada jornalista investigativa Daniela Arbex, vencedora do Prêmio Jabuti na categoria livro-reportagem em 2016. Com prefácio assinado por Caco Barcellos, &

angiologista: Os Dois Mundos De Isabel; narra …

Os Dois Mundos De Isabel; narra a história da médium mineira Isabel Salomão de Campos, uma das pioneiras do espiritismo Brasil. Escrava Isaura Para a série especial dos 70 anos da televisão brasileira, Lucélia Santos será a entrevistada de hoje por Pedro Bial no “Conversa”. Dona de um currículo repleto de sucessos, a atriz tem como carro-chefe a obra “A Escrava Isaura” (1976), exibida pela Globo. Uma das novelas mais vendidas da história da emissora. Se Ocupando Para matar o tempo, enquanto o isolamento social não acaba, a filantropa Crinaura Abreu faz máscaras e próteses para as mulheres da Casa de Apoio Irmã Gabriela e a Liga Contra o Câncer, onde é voluntária. Aliás, ela já se dedica a esse trabalho há tempos, mas agora está na linha Home Office. Golpe A angiologista Cristiane Torralba foi mais uma vítima da clonagem do whatzap. Criminosos se passaram pela médica pedindo dinheiro aos seus contatos. Chegando o dia dos pais, o promotor de justiça Flávio Pontes e sua esposa Fernanda apresentam o herdeiro Matheus nas redes sociais Turma chique e cheirosa, as viuvetes Cristina Santos, Nilze Dias, Regina Emerenciano, Nadja Dias e Amália Porto As consultoras de imagem Ana Paula Cacho e Natália Calgaro trocando figurinha de style em momento fashion nos salões badalados das terras de Poti Em ritmo de São João, o casal Kalina Leite/JaderGonçalves Vivas duplo de parabéns para a médica Sandra Dias e sua filha Camila, elas amanhecem em rit-mo de idade nova


Estudo da Unicamp avalia impactos neurológicos da covid-19 a longo prazo

vascular
O Laboratório de Neuroimagem do Hospital da Clínicas da Unicamp associado ao Instituto Brasileiro de Neurociência e Neurotecnologia (Bra …

vascular
O Laboratório de Neuroimagem do Hospital da Clínicas da Unicamp associado ao Instituto Brasileiro de Neurociência e Neurotecnologia (Brainn) realiza um estudo em pacientes de covid-19 para avaliar o impacto da doença no sistema nervoso a longo prazo. “É extremamente intrigante e não sabemos a razão pela qual o vírus causa tantos problemas neurológicos.

vascular: A via olfatória é uma possível …

A via olfatória é uma possível porta de entrada, mas não apenas ela justificaria os problemas”, explicou Clarissa Lin Yasuda, neurologista da Unicamp, ao portal da universidade. Por meio de ressonância magnética, serão avaliadas pessoas que tiveram alterações neurológicas na fase aguda e apresentam sintomas após a recuperação, aquelas que tiveram poucas alterações e assintomáticos. “No processamento de imagem conseguimos detectar alterações cerebrais sutis.

A hipótese é que o vírus poderia causar alterações estruturais ou mesmo da função cerebral, ou até algum grau de atrofia”, avaliou a neurologista.

vascular: A Unicamp e o Brainn já …

A Unicamp e o Brainn já têm um projeto para identificar fatores de risco para complicações neurológicas em pessoas que adoeceram por conta do novo coronavírus. O objetivo é ajudar na prevenção desses problemas, tanto os imediatos quanto os tardios. Desde o início da pandemia, pesquisadores tentam desvendar a ação no corpo humano do Sars-CoV-2 que, apesar de ser um vírus respiratório, ataca diversos órgãos e pode levar à morte não somente pelo dano que causa ao pulmão. Publicações recentes nas revistas científicas New England Journal of Medicine e Brain registram os sintomas neurológicos em pacientes com a doença, que variam de perda de olfato e formigamento à encefalite e acidente vascular cerebral (AVC). Nenhum desses estudos conseguiu detectar a presença do vírus no líquor – líquido presente no cérebro e na medula espinhal.

vascular: “Parece que os efeitos não ocorrem …

“Parece que os efeitos não ocorrem por ação direta do vírus e sim por mecanismos mais indiretos que fazem lesões no sistema nervoso”, disse Clarissa. O Serviço Nacional de Saúde do Reino Unido avalia que diversas sequelas físicas, cognitivas e psicológicas devem persistir em pacientes, principalmente as respiratórias, se a covid-19 seguir os padrões da Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars) e da Síndrome Respiratória do Oriente Médio (Mers). O Sistema de Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde aponta que 50% dos pacientes mais graves sobrevivem. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a chance de sequelas aumenta em pacientes graves que tiveram permanência prolongada em unidade de terapia intensiva (UTI) e necessidade de usar aparelhos respiradores. A recuperação pode levar de três a seis semanas ou mais. De andador, veterano de guerra de 99 anos arrecada milhões para saúde pública britânica


Cientistas da Unicamp investigam sequelas em pacientes recuperados de COVID-19

vascular
Desde o primeiro caso oficial de COVID-19 na China, pesquisadores buscam desvendar o mecanismo de ação do novo coronavírus (SARS-CoV-2), …

vascular
Desde o primeiro caso oficial de COVID-19 na China, pesquisadores buscam desvendar o mecanismo de ação do novo coronavírus (SARS-CoV-2), que ataca diversos órgãos além dos pulmões e provoca alterações na circulação, podendo levar à morte não apenas por insuficiência pulmonar. Veja tambémGuia de prevenção sobre o novo coronavírusPlano São Paulo: balanços e protocolos para retomadaAs medidas adotadas pelo Governo de SP para o combate ao coronavírus O Serviço Nacional de Saúde de países em estágios mais avançados da pandemia, como o Reino Unido, avalia que diversas sequelas físicas, cognitivas e psicológicas devem persistir em pacientes, principalmente as respiratórias, se seguirem os padrões de SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave) e MERS (Síndrome Respiratória do Oriente Médio).

vascular: Publicações recentes nas revistas científicas New …

Publicações recentes nas revistas científicas New England Journal of Medicine e Brain documentam os sintomas neurológicos em pacientes com a doença, que variam de simples dificuldades cognitivas à confusão mental, além de dor de cabeça, perda de olfato e formigamento, assim como encefalites, hemorragia, trombose, AVC isquêmico, mudanças necróticas e Síndrome de Guillain-Barré, condições neurológicas nem sempre correlacionadas à severidade de sintomas respiratórios.

“O que mais impressionou os patologistas foram os sinais de isquemia e hipoxemia, mais que lesões inflamatórias.

vascular: É extremamente intrigante e não sabemos …

É extremamente intrigante e não sabemos a razão pela qual o vírus causa tantos problemas neurológicos. A via olfatória é uma possível porta de entrada, mas não apenas ela justificaria os problemas psiquiátricos”, explica Clarissa Lin Yasuda, neurologista do Departamento de Neurologia e Neurocirurgia da Universidade Estadual de Campinas, ao Portal da Unicamp. Coordenação motora Não foi detectado vírus no líquor (líquido cefalorraquidiano) em nenhum dos estudos mencionados. Clarissa comenta o caso de um paciente com quadro muito grave de perda de coordenação motora também com ausência do vírus nas imagens de ressonância magnética e no líquor.

vascular: “Parece que os efeitos não ocorrem …

“Parece que os efeitos não ocorrem por ação direta do vírus e sim por mecanismos mais indiretos que fazem lesões no sistema nervoso. Não vimos muitos casos de encefalite específica ou necrotizante tão graves como os reportados nesses estudos e sim outras manifestações como a Síndrome de Guillain-Barré que podem evoluir para quadros muito graves”, salienta. Patologistas avaliam lesões nos tecidos e órgãos e auxiliam no tratamento de casos graves. “Autópsias que realizamos nos últimos meses em pacientes diagnosticados com COVID-19 revelam que o vírus se espalha por vários órgãos como o coração e rins além dos pulmões e chega ao cérebro por meio do nervo olfatório”, disse Paulo Saldiva, patologista do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), durante a Reunião Anual Virtual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), em 13 de julho.

vascular: Segundo o especialista, em muitos casos, …

Segundo o especialista, em muitos casos, as alterações cardiovasculares acontecem mesmo quando o pulmão está mais preservado. Comportamento De acordo com cientistas, o comportamento do SARS-CoV-2 a longo prazo é um enigma preocupante. O vírus varicella-zóster que causa a catapora, por exemplo, pode ficar inativo na medula espinhal por anos e reativar em situação de imunidade baixa provocando a herpes-zóster (cobreiro). Clarissa comenta dois casos de pacientes já recuperados da COVID-19, desde abril, que voltaram a ter sintomas em julho quando testaram novamente positivos no RT-PCR, teste usado ​​para análise da expressão gênica e quantificação do RNA viral. “Não estão com alterações neurológicas, mas com sintomas da COVID-19. Os infectologistas não sabem se eles se contaminaram novamente com o SARS-CoV-2 ou com outro vírus não detectado, ou se o SARS-CoV-2 ficou alojado no tecido.

vascular: É impossível dizer pois não se …

É impossível dizer pois não se sabe se as pessoas desenvolvem ou não imunidade a esse vírus”, alerta a neurologista. Apesar de o impacto do SARS-CoV-2 nos pulmões ser precedente, impactos duradouros no sistema nervoso podem ser maiores e até mais avassaladores devido à difícil regeneração do tecido nervoso podendo resultar em incapacidades gerais já que o sistema nervoso coordena as funções do organismo como um todo. Rastros O Sistema de Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde aponta que 50% dos pacientes mais graves sobrevivem. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a chance de sequelas aumenta em pacientes graves que tiveram permanência prolongada em UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e necessidade de usar aparelhos respiradores.

vascular: A recuperação pode levar de três …

A recuperação pode levar de três a seis semanas ou mais. Muitas podem ser as complicações pós-intubação decorrentes da intubação (respiração artificial) prolongada seguida de traqueostomia (procedimento que facilita a chegada de ar aos pulmões quando há obstruções), sendo os mais comuns danos laríngeos como lesões nas cordas vocais e estreitamento da laringe, e traumas nas vias aéreas. Podem causar prejuízos à vocalização, à respiração e à deglutição. Luciana Castilho de Figueiredo, supervisora da fisioterapia da UTI do Hospital de Clínicas (HC) da Unicamp, enfatiza a necessidade de reabilitação multiprofissional e interdisciplinar dos pacientes pós-COVID-19 graves, envolvendo fisioterapeutas, fonoaudiólogos, médicos, nutricionistas e outros.

vascular: “Sintomas como a perda de paladar …

“Sintomas como a perda de paladar e olfato já eram sinais de algo muito sério em relação ao hábito alimentar e agrava-se mais por causa da disfagia (dificuldade de engolir) decorrentes da intubação prolongada e traqueostomia”, destaca ao Portal da Unicamp. Alterações da deglutição não tratadas adequadamente; podem acarretar desnutrição, desidratação, broncopneumonia e até levar à morte. “Falar e comer fazem parte de hábitos de felicidade, faz parte do que é digno para as pessoas”, salienta a fisioterapeuta.

vascular: Processos embólicos podem ocorrer no desmame …

Processos embólicos podem ocorrer no desmame da ventilação mecânica ou devido à resposta inflamatória exagerada. Pequenos coágulos se desprendem e são transportados pelo sangue até vários órgãos onde podem obstruir vasos e impossibilitar a oxigenação das células. As consequências podem ser embolia pulmonar, tromboses, ataques cardíacos e AVC isquêmico (acidente vascular cerebral). “Um AVC isquêmico pode gerar uma infinita quantidade de comprometimentos como a paralisia de movimentos e perda da fala”, enfatiza Luciana.

vascular: “Percebemos uma polineuropatia [distúrbio dos nervos] …

“Percebemos uma polineuropatia [distúrbio dos nervos] que aparece de forma muito aguda, rápida e grave englobando fraqueza muscular e perda muscular e da motricidade”, comenta a fisioterapeuta. Pacientes menos graves estão manifestando desenvolvimento gradativo de sinais da polineuropatia: sensação de formigamento e dormência, dor semelhante à queimação e incapacidade de sentir vibrações ou a posição dos membros e das articulações. Foi o que relatou Alessandra Alday, 48 anos, ao Portal da Unicamp. “Há dois meses tive os primeiros sintomas da Covid-19 e ainda sinto fraqueza, dores musculares no corpo e forte indisposição, como uma fadiga crônica. Só depois vieram as sensações de formigamento e peso nas pernas.

vascular: O médico suspeita de desordem neurológica …

O médico suspeita de desordem neurológica periférica semelhante à Síndrome de Guillain-Barré”, revela Alessandra, que testou positivo para a doença em maio. Fisioterapia Luciana salienta que a intervenção fisioterapêutica tem um impacto muito grande na reabilitação do paciente COVID-19 grave. “Visa a fazer o paciente reaprender a respirar sozinho de forma espontânea e segura, pois só assim ele poderá sair da UTI para a enfermaria. Auxilia na mobilização precoce ao longo da internação com finalidade de auxílio no deslocamento.

vascular: Nas sequelas respiratórias persistentes e que …

Nas sequelas respiratórias persistentes e que não evoluírem para fibrose (substituição do tecido pulmonar funcional por tecido não funcional, cicatriz) acentuada com dependência de oxigênio, a fisioterapia na reabilitação cardiovascular que envolve uma adaptação fisiológica ao exercício é fundamental”, diz. O cenário ainda é obscuro e será necessário o monitoramento das complicações nas vítimas da COVID-19. O HC-Unicamp avalia implementar um programa de telemedicina e telerreabilitação. “O primeiro passo seria avaliar o prejuízo respiratório demonstrado pela fadiga na prova de função pulmonar, seguido de um programa de reabilitação individualizado em que o paciente pudesse receber um kit com um dispositivo de comunicação, um exercitador respiratório e um programa de atividade que ele possa fazer em casa”, informa a fisioterapeuta. Dados preliminares coletados pela neurologista Clarissa através de questionário on-line apontam que cerca de 67% dos pacientes recuperados da Covid-19 sem internação apresentam algum sintoma neurológico persistente: fadiga crônica (30%), problemas de memória (25%), perda de olfato (20%), dores de cabeça (15%) e perda de paladar (10%). Apenas 33% se consideram sem sintomas. “É muito grave dizer que apenas 33% se consideram saudáveis e sem sintomas, sendo que nenhum desses pacientes foi internado. Imagine a situação dos pacientes graves como será”, enfatiza Clarissa. Alterações neurológicas O Laboratório de Neuroimagem do HC-Unicamp, associado ao Cepid Brainn (Instituto Brasileiro de Neurociência e Neurotecnologia, vinculado ao programa Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) realizará um estudo de ressonância magnética em pacientes com quadros neurológicos pós-COVID-19 e que tiveram alterações neurológicas na fase aguda, em pacientes com poucas alterações neurológicas ou apenas alterações do olfato e paladar, e nos assintomáticos do ponto de vista neurológico.

vascular: “No processamento de imagem conseguimos detectar …

“No processamento de imagem conseguimos detectar alterações cerebrais sutis. Minha hipótese é que o vírus poderia causar alterações estruturais ou mesmo da função cerebral, ou até algum grau de atrofia”, explica a neurologista. O acompanhamento desses pacientes permitirá avaliar o impacto do SARS-CoV-2 no sistema nervoso a longo prazo. “É difícil falar sobre as marcas da COVID-19. A quantidade de mortes é um impacto que não tem tamanho. O negacionismo da ciência e descuido com as vidas me impressiona. Senti tristeza, desânimo, medo de transmitir o vírus para a minha família, medo de morrer ou ter sequelas. Estou aprendendo uma nova forma de viver curtindo minhas flores e redescobrindo pequenas coisas que me dão alegria. A perspectiva de ressignificação me dá esperança. Aqui tem vida e ela está florescendo”, refletiu Alessandra Alday.


Jovens e adolescentes não estão imunes a varizes, alerta especialista

varizes
Comumente associados às pessoas mais velhas e, muitas vezes, com sobrepeso ou obesidade, as varizes e os vasinhos também podem aparecer em …

varizes
Comumente associados às pessoas mais velhas e, muitas vezes, com sobrepeso ou obesidade, as varizes e os vasinhos também podem aparecer em adolescentes e jovens, afetando diretamente sua auto-estima e qualidade de vida Problemas relacionados às varizes estão comumente associados às pessoas mais velhas e, muitas vezes, com sobrepeso ou obesidade, mas as varizes e os vasinhos também podem aparecer em adolescentes e jovens, afetando diretamente sua auto-estima e qualidade de vida. Segundo a médica cirurgiã-vascular Fabiana Lo Presti, alguns fatores comuns à rotina dos jovens contribuem para o surgimento do problema.

varizes: “Muitas horas sentados em frente à …

“Muitas horas sentados em frente à TV ou estudando podem fazer aparecer ou agravar a pré-disposição às varizes. Esse é o principal fator para o surgimento de varizes nesse grupo”, afirmou. De acordo com ela, é possível fazer um tratamento eficaz desde o início do problema, mas deve ser realizado com cautela e de maneira mais conservadora se comparado ao tratamento de pessoas mais velhas.

“Os casos são altamente reversíveis, por isso não é recomendada a realização de cirurgias nessa fase.

varizes: A tecnologia está ao lado dessas …

A tecnologia está ao lado dessas pessoas e já existem muitos tratamentos e procedimentos não invasivos que têm um alto grau de resultados positivos”, assegurou.Alguns cuidados são fundamentais para evitar o surgimento das varizes durante essa fase da vida, como evitar a uso exagerado de salto alto, manter uma rotina regular de atividades físicas, buscar uma alimentação saudável, livre de gorduras e ultra processados e procurar não ficar muitas horas seguidas sem se movimentar.  “Muitas vezes eles estão entretidos estudando, na TV ou computador e acabam esquecendo de se movimentar.

varizes: O ideal é para a cada …

O ideal é para a cada meia hora e fazer uma pequena caminhada pela casa, tomar um copo de água e fazer movimentos repetidos flexionando os pés de cima para baixo, o que aumenta a circulação do sangue pelo corpo e evitando o surgimento”, alertou. Mais informações a respeito dos tratamentos e dicas para evitar o problema podem ser obtidas através do perfil de instagram profissional da médica: @icvmanaus . No Instituto CardioVascular são oferecidas as mais modernas técnicas de tratamento já disponíveis para as varizes.


Luta do título foi a 1ª que Deiveson não pôde festejar em café com o avô

vascular
SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Deiveson Figueiredo tinha uma tradição depois de suas lutas.

vascular: Ele voltava para Sou …

vascular
SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Deiveson Figueiredo tinha uma tradição depois de suas lutas.

vascular: Ele voltava para Soure, na Ilha …

Ele voltava para Soure, na Ilha de Marajó (PA), para reencontrar a família e, especialmente, João Leal de Deus, o “vô Dedê”. Muito próximos, os dois costumavam tomar café juntos enquanto o novo campeão do UFC contava como havia sido o combate. Mas, bem na luta mais importante da carreira, isso não pôde mais ser realizado. João morreu no último dia 11 de maio, aos 79 anos, vítima de um AVC (acidente vascular cerebral), e não conseguiu ver o neto se tornar campeão do UFC.

A morte, ocorrida na parte final do camp do brasileiro, fez com que Deiveson precisasse tirar forças para seguir em busca do cinturão.

vascular: “Foi um período muito difícil. Desde …

“Foi um período muito difícil. Desde então, é sempre complicado voltar para Soure e não ver meu avô. Era de lei, cara: eu chegava na cidade e ia encontrá-lo. Meu vício era tomar café com ele todas as manhãs. Onde eu ia, ele ia comigo. Agora não tenho mais ele para contar as histórias, ficar rindo comigo”, relembrou. Assim que voltou de Abu Dhabi, onde conquistou o cinturão, e chegou em Soure, Deiveson fez questão de visitar o túmulo do avô. Agora, ele quer que seu título fique exposto ao lado de um quadro do avô Dedê em sua nova casa, em Belém, no Pará.

vascular: “A homenagem já está montada na …

“A homenagem já está montada na minha cabeça. Só não vou fazer agora porque, com a mudança, reforma, fica difícil. Vou ter que esperar um pouco”. Dedê não será o único a receber uma homenagem após o título. A cidade de Soure promete construir uma estátua para o novo campeão. A novidade foi divulgada durante a carreata em homenagem a Deiveson nesta semana. “Eu chorei para caramba na hora. Ter uma estátua minha na cidade é uma grande homenagem. É um reconhecimento do meu trabalho e dá alegria que estou levando para a cidade”, completou. Como você avalia o conteúdo que acabou ler?


A Viagem vem aí! Saiba o que mudou na vida do elenco

vascular
Para quem gosta de tramas espíritas, Dezembro será o reinício de um verdadeiro marco na TV brasileira. A novela A Viagem, da saudosa Iva …

vascular
Para quem gosta de tramas espíritas, Dezembro será o reinício de um verdadeiro marco na TV brasileira. A novela A Viagem, da saudosa Ivany Ribeiro, será exibida no canal Viva.

vascular: Na trama, uma das maiores produções …

Na trama, uma das maiores produções da época, destacou a atuação de Guilherme Fontes, Christiane Torloni, Antônio Fagundes, Miguel Falabella, Lucinha Lins, Maurício Mattar, Yara Cortes, Andréia Beltrão, Cláudio Cavalcanti, Ary Fontoura, Fernanda Rodrigues, entre outros. Inspirada na Doutrina Espírita, a trama foi originalmente escrita para a Rede Tupi, baseada nos livros Nosso Lar, de 1944 e E a Vida Continua, de 1968, ambos psicografados pelo médium brasileiro Chico Xavier.

  Na célebre versão de 1994, é contada a trajetória de Alexandre (Guilherme Fontes), jovem rico, viciado em álcool e drogas.

vascular: Ele mata o tesoureiro da empresa …

Ele mata o tesoureiro da empresa de sua família após ter sido pego roubando o cofre. Diná (Cristiane Torloni), sua irmã, é a única a protegê-lo e recorre ao advogado criminalista Otávio Jordão (Antonio Fagundes), amigo do tesoureiro assassinado, que se nega a defender Alexandre. Condenado a 18 anos de prisão, ele é abandonado pela namorada, Lisa (Andréa Beltrão) e comete suicídio na cadeia. No pós-vida, jura vingança contra todas as pessoas que julga terem sido responsáveis por sua morte trágica.

vascular: A presença de seu espírito é …

A presença de seu espírito é percebida pelo Dr. Alberto (Cláudio Cavalcanti), que passa a orientá-lo nas reuniões mediúnicas. Saiba o que mudou na vida dos atores desde 1994 Guilherme Fontes (Alexandre) – O protagonista da novela foi um marco na carreira do ator. Seu árduo caminho para alcançar a luz permeou a trama. Seu mais recente trabalho na TV foi ano passado, em Órfãos da Terra. Atualmente, Guilherme pode ser visto na reprise de Estrela-Guia, como o namorado de Cristal (Sandy).

vascular: Christiane Torloni (Diná) – Casada com Téo …

Christiane Torloni (Diná) – Casada com Téo (Maurício Mattar), a irmã do protagonista se apaixonou por Otávio Jordão, advogado que contratou para defender Alexandre. Contudo, o profissional era amigo do tesoureiro morto e o rapaz acabou preso. A paixão de Diná pelo advogado revolta ainda mais o espírito de Alexandre. Atualmente, a atriz está no ar em Fina Estampa, como a Tereza Cristina. Miguel Falabella (Raul) – Irmão de Alexandre e Diná, é quem o denuncia pelo assassinato e vira alvo de sua vingança.

vascular: Dispensado pela Globo após 39 anos, …

Dispensado pela Globo após 39 anos, o artista é sondado pela Band e pela Netflix.  Antônio Fagundes (Otávio Jordão) – O advogado criminalista sofreu com a negatividade de Alexandre. Tinha um filho alcóolatra e drogado. O outro, o caçula, sentia o espírito sem luz. Otávio morre em um desastre de carro provocado por Alexandre. No pós-morte, reencontra Diná, que havia morrido anteriormente. Juntos, tentam reverter as maldades do vilão. O ator pretende retomar a encenação da peça Baixa Terapia, que fazia enorme sucesso até a pandemia se instaurar.

vascular: Felipe Martins (Tato) – Interpretava o filho …

Felipe Martins (Tato) – Interpretava o filho mais velho de Otávio. Esteve no elenco da série Milagres de Jesus, da Record, em 2014. Daniel Ávila (Dudu) – Caçula de Otávio. Contracenou novamente com Felipe Martins em Milagres de Jesus. Seu trabalho mais recente foi em 2015, na série Se Eu Fosse Você exibida na Fox. Maurício Mattar (Téo) – Marido de Diná, convivia com os 12 anos de diferença entre eles. O espírito de Alexandre faz com que ele se torne violento e a separação é inevitável.

vascular: Ele se envolve com Lisa, a …

Ele se envolve com Lisa, a ex de Alexandre. Atualmente, Mattar é contratado da Record. Eduardo Galvão (Mauro) – amigo de Téo. Seu mais recente trabalho foi na novela Bom Sucesso, como o Dr. Machado. Andréa Beltrão (Lisa) – Ex de Alexandre, namora Téo. Ao reencarnar o protagonista pede para ser filho deles. Andrea protagoniza a cinebiografia Hebe, A Estrela do Brasil, que será exibida na Globo. Suzy Rêgo (Carmen) – amiga de Lisa. Está no elenco de Juacas, série da Disney Channel e tem projetos para o teatro.

vascular: Lucinha Lins (Estela) – Criou sozinha a …

Lucinha Lins (Estela) – Criou sozinha a única filha, Bia (Fernanda Rodrigues), depois que o marido a abandonou. Lucinha é contratada da Record. Jonas Bloch (Ismael) – o trapaceiro ex-marido de Estela. Está na reprise de Novo Mundo. Fernanda Rodrigues (Bia) – Sonhava com a volta do pai, Ismael (Jonas Bloch) e, quando ele reaparece, vira uma adolescente debochada e agressiva. Fernanda atualmente apresenta o programa Fazendo a Festa, no GNT. Thaís de Campos (Andrezza) – Filha única de Guiomar (Laura Cardoso) e mulher de Raul (Miguel Falabella).

vascular: Vive muito bem com o marido …

Vive muito bem com o marido e não entende como a sua vida muda de uma hora para a outra. Está no ar na reprise de Fina Estampa. Laura Cardoso (Guiomar) – Sogra de Raul (Miguel Falabella). Emprestou seu brilho e talento como a Matilde, em A Dona do Pedaço. Ary Fontoura (Seu Tibério) – amigo de Estela (Lucinha Lins). Blogueirinho da quarentena, está no ar na reprise de Êta Mundo Bom! Breno Moroni (Adonay) – o misterioso Mascarado. Breno imagina que quando as medidas restritivas acabarem, o caminho vai ser primeiro ir pra rua, atrás do público, porque os teatros devem demorar pra voltar a ter plateia.

vascular: Denise Del Vecchio (Glória) – governanta da …

Denise Del Vecchio (Glória) – governanta da mansão de Otávio. Atuou em Topíssima, na Record.  Thierry Figueira (Guga) – foi a estreia dele como ator de novelas. Estava no ar em Amor Sem Igual, na Record. Falecidos  O fato da novela abordar a visão da religião espírita, gerou polêmica na época entre os cristãos. Durante a trama, muitos personagens morreram, alguns indo para o céu e outros para o inferno. Após o fim da novela, 13 atores e atrizes que trabalharam no folhetim fizeram a “real viagem”.

vascular: Inclusive a autora, Ivani Ribeiro, vítima …

Inclusive a autora, Ivani Ribeiro, vítima de insuficiência renal, provocada pelo diabetes, em julho de 1995, aos 73 anos. Vinte dias antes, ela havia ficado viúva. Curiosamente A Viagem foi sua última obra.  Veja quem mais ‘’fez a viagem’’: Cláudio Mamberti (Geraldão) – Tinha 61 anos quando morreu, em 2001, depois de vinte dias internado no Hospital Sírio-Libanês, e, São Paulo, devido a falência múltipla dos órgãos e septicemia.  Yara Cortes (Dona Maroca) – Interpretou a fofa mãe de Diná, Estela, Raul e Alexandre.

vascular: Faleceu em 2002, aos 81 anos, …

Faleceu em 2002, aos 81 anos, vítima de insuficiência respiratória. Irving São Paulo (Zeca) – Era irmão de Lisa, sonhava em ser músico. Faleceu em 2006, aos 41 de falência múltipla dos órgãos, em decorrência de uma pancreatite. Nair Belo (Dona Cininha) – Amiga de Tibério e Agenor. Morreu em 2007, aos 75 anos. A atriz contraiu uma pneumonia, que lhe trouxe uma série de complicações. Sofreu uma parada cardiorespiratória, passou meses em coma na UTI e morreu de falência múltipla dos órgãos.

vascular: Maria Alves (Francisca) – Tinha 60 anos …

Maria Alves (Francisca) – Tinha 60 anos quando morreu, por conta de um câncer, em maio de 2008.  Tânia Scher – viveu a mãe do personagem de Maurício Mattar e morreu, aos 61 anos, em 2008 por conta de insuficiência respiratória e problemas no fígado. Leina Krespi (Sueli) – Morreu aos 70 anos, em abril de 2009, de câncer no esôfago. John Herbert (Agenor) – pai de Lisa. Faleceu em 2011, aos 81 anos, vítima de enfisema pulmonar. Nildo Parente (Valdomiro) – Seu personagem era uma das vítimas do protagonista Alexandre. Após um mês Hospital Adventista Silvestre, no Rio de Janeiro, onde estava internado por conta de um acidente vascular cerebral (AVC), o ator morreu em fevereiro de 2011, aos 74 anos.

vascular: Claudio Cavalcanti (Dr. Alberto) – Médium que …

Claudio Cavalcanti (Dr. Alberto) – Médium que ajuda Diná e Otávio a entender o espiritismo. Em setembro de 2013, passou por uma cirurgia por conta da falência de uma vértebra. Sofreu um choque cardiogênico, que evoluiu para uma insuficiência renal e falência múltipla dos órgãos, ocasionando o falecimento, aos 73 anos. Caio Junqueira (Pedro Bala) – Morreu em 2019, aos 42 anos após sofrer um grave acidente de carro no Rio de Janeiro. Na última década, o ator se dedicou às tramas bíblicas da Record e atuou na primeira temporada de O Mecanismo, na Netflix.

vascular: Chris Pitsch (Bárbara) – Estava estreando na …

Chris Pitsch (Bárbara) – Estava estreando na TV, fazia parte do núcleo jovem da novela. Morreu um ano depois do fim das gravações, em 1995, de infarto, aos 24 anos. Mara Manzan (Ednéia) – Em março de 2008, quando estava no ar na novela Duas Caras, Mara descobriu um câncer no pulmão. Foi operada um mês depois pelo Dr. Drauzio Varela. Faleceu em novembro de 2009, aos 57 anos, vítima de metástase.


Nível de colesterol cresceu em países com população de baixa renda

Os níveis do colesterol estão aumentando nos países não desenvolvidos ou em desenvolvimento, enquanto por incrível que possa parecer, esses níveis de colesterol diminuíram nos mais ricos, segundo estudo recente publicado na revista Nature pelo Dr.

aterosclerose: Majid Ezzati …

Os níveis do colesterol estão aumentando nos países não desenvolvidos ou em desenvolvimento, enquanto por incrível que possa parecer, esses níveis de colesterol diminuíram nos mais ricos, segundo estudo recente publicado na revista Nature pelo Dr.

aterosclerose: Majid Ezzati, professor e presidente de …

Majid Ezzati, professor e presidente de Saúde Ambiental do Imperial College London, no Reino Unido. Foi analisada a fração não-HDL colesterol, que é a soma de todos os tipos de colesterol considerados ruins: LDL+IDL+VLDL. Supõe-se que o colesterol não-HDL seja um marcador mais sensível de risco de aterosclerose do que o LDL (o ruim) isoladamente. Sendo que valores ótimos do colesterol não-HDL devem estar em marcadores menores que 130 mg/dL.

1 de 1

aterosclerose: Reduzir o consumo de alimentos industrializados …

Reduzir o consumo de alimentos industrializados e aumentar a prática de atividades físicas são fundamentais para a redução do colesterol e de outros fatores, como obesidade — Foto: iStock Getty Images Reduzir o consumo de alimentos industrializados e aumentar a prática de atividades físicas são fundamentais para a redução do colesterol e de outros fatores, como obesidade — Foto: iStock Getty Images Foram revistas mais de 1.000 pesquisas científicas que analisaram os níveis de todas as gorduras (lipídios) no sangue em mais de 100 milhões de adultos de todo o mundo.

aterosclerose: Os surpreendentes resultados mostram que entre …

Os surpreendentes resultados mostram que entre 1980 e 2018, a prevalência de não-HDL do colesterol caiu em países desenvolvidos, enquanto aumentou nas nações de baixa e média renda. “Esse fato deveu-se mudanças na dieta – especialmente o equilíbrio entre gorduras saturadas / gorduras trans e gorduras não saturadas além de como e quanto do tratamento com medicação é usado”, disse Ezzati. Os níveis elevados de colesterol diminuíram nos países mais ricos, especialmente no noroeste da Europa e na Europa Central e Oriental, e eles aumentaram em países pobres e de renda média, especialmente no leste e sudeste da Ásia.

aterosclerose: Particularmente impressionante, no entanto, foi uma …

Particularmente impressionante, no entanto, foi uma diminuição líquida da mortalidade por causas cardiovasculares nos países ocidentais durante o mesmo período, de um total de 950.000 caiu para 480.000 anualmente. Nos países de baixa e média renda, e o Brasil está nesse time, as pessoas também sofrem com mais obesidade, diabetes e hipertensão, o que é amplamente atribuído a dietas ricas em alimentos de origem animal, gorduras saturadas e carboidratos refinados”. O grande problema é o estilo de vida muito mais sedentário e menor atividade física, praticamente pela falta de tempo e a vida econômica muito competitiva, obrigando a dedicação quase que exclusiva ao trabalho e a necessidade de alimentação industrializada, contribuindo para um aumento de peso notado em todos os países.

aterosclerose: Nesta pandemia, muitos erros ficaram bem …

Nesta pandemia, muitos erros ficaram bem expostos, a começar pela falta de atividades físicas e esportivas, por desconhecimento do que fazer e como fazer os exercícios físicos suficientes em casa. Entre as questões da quarentena, uma certa depressão pelo confinamento e o ganho de peso inevitável porque ninguém conseguiu gastar calorias habitualmente perdia com a intensidade com que antes fazia seus exercícios. Mesmo com o colesterol controlado nos países mais ricos, as doenças cardiovasculares continuaram sendo um grande problema devido à obesidade crescente. Qual seria e explicação? As pessoas controlam o colesterol com medicamentos (o correto) mas não emagrecem, mantém alimentação muito calórica com carboidratos e açúcar em excesso, fazendo pouca atividade física semanal por conta da dificuldades de se movimentar pelo sobrepeso. Com isso, outros problemas de saúde seguem seu curso.

aterosclerose: O que fazer? Mudar os hábitos …

O que fazer? Mudar os hábitos de vida errados, com a adoção de três medidas objetivas: Diminuir a alimentação industrializada, evitar açúcar e o excesso de gorduras saturadas, gorduras visíveis, frituras; Corrigir o colesterol com medicação; Fazer exercícios na quantidade certa e não “só um pouquinho”: gastar 150 a 300 minutos de exercícios aeróbicos por semana, acrescentar fortalecimento muscular entre duas e três vezes por semana por 20 minutos cada vez. * As informações e opiniões emitidas neste texto são de inteira responsabilidade do autor, não correspondendo, necessariamente, ao ponto de vista do Globoesporte.com / EuAtleta.com.


Entenda o que é a dissecção de aorta, condição que causou a morte do cantor Renato Barros

O cantor Renato Barros faleceu em decorrência de complicações em cirurgia (Foto: Reprodução/Facebook/Renato e Seus Blue Caps)   Renato Barros, integrante da banda Renato e Seus Blue Caps, morreu na terça-feira, 28, por complicações de uma cirurgia cardíaca. No dia 17 de julho, o músic …

O cantor Renato Barros faleceu em decorrência de complicações em cirurgia (Foto: Reprodução/Facebook/Renato e Seus Blue Caps)   Renato Barros, integrante da banda Renato e Seus Blue Caps, morreu na terça-feira, 28, por complicações de uma cirurgia cardíaca. No dia 17 de julho, o músico deu entrada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital de Clínicas em Jacarepaguá, no Rio de Janeiro, para ser submetido a uma operação de emergência.

angiologista: Ele foi diagnosticado com dissecção de …

Ele foi diagnosticado com dissecção de aorta, e após a cirurgia, teve infecção pulmonar e não resistiu. Entenda a condição que causou a morte do cantor. A dissecção aórtica é uma urgência vascular, que ocorre após lesão na parede interna da artéria aorta e leva a uma ruptura que separa o trajeto do sangue em dois caminhos, chamados de luz falsa e luz verdadeira, segundo explica a angiologista e cirurgiã vascular, Juliana Alfaia. “É como se fosse um furo na parede do vaso.

Nestes pontos, tem umas plaquinhas que ulceram, onde a parede fica mais frágil, e, quando sofre o efeito de uma pressão maior, você desenvolve uma falsa luz no trajeto do vaso, e o fluxo se desloca pelas duas luzes”, comenta.

angiologista: Em uma analogia da médica, a …

Em uma analogia da médica, a luz verdadeira seria como uma espécie de cano, que enfraquece em certo ponto, cede e forma um trajeto alternativo – a luz falsa – pelo qual o líquido iria passar. Dessa forma, em vez de seguir o caminho correto, o fluxo sanguíneo passaria a se desviar também para esse outro sentido, causando um acúmulo de sangue, que aumenta o risco de entupir ou romper as artérias que levam o sangue para órgãos vitais. Leia também | Após a morte do apresentador Rodrigo Rodrigues, entenda como a trombose está associada à Covid-19 A aorta, segundo Juliana, é a maior artéria do organismo.

angiologista: “Dela saem muitos ramos para muitos …

“Dela saem muitos ramos para muitos órgãos vitais como o rim, o estômago, o baço, e as artérias que levam o sangue para o intestino”, exemplifica. “Então, quando você desenvolve uma luz falsa, é possível que esses ramos acabem saindo da luz falsa e fiquem com o suprimento de sangue prejudicado”, complementa a cirurgiã vascular. A consequência seriam repercussões, por vezes fatais, nesses órgãos. Homens acima de 60 anos correspondem ao perfil mais acometido pela dissecção de aorta. No entanto, as condições que cooperam para o desenvolvimento dessa condição estão sendo cada vez mais observadas em pacientes mais jovens, segundo a angiologista Juliana Alfaia.

angiologista: “Essas doenças que antigamente só acometiam …

“Essas doenças que antigamente só acometiam idosos, estão aparecendo muito mais cedo. As pessoas estão fumando, se tornando hipertensas e diabéticas mais cedo. Então, o perfil está mudando”, salienta. Os fatores de risco para a dissecção aórtica são principalmente as doenças plurimetabólicas, como diabetes, obesidade, hipertensão não controlada e colesterol alto. Além disso, o tabagismo e o alcoolismo também são hábitos que cooperam para esse risco. “O cigarro mais prevalentemente”, frisa Juliana.

angiologista: Ela acrescenta que a prevenção é …

Ela acrescenta que a prevenção é a partir do controle dessas doenças de base. Além disso, é importante que seja feito check-up vascular anualmente para rastreio desses fatores de risco. “Geralmente, a dissecção aórtica está ligada ao aneurisma de aorta. É muito comum encontrar as duas coisas. Então, a gente tem como fazer o rastreio através de check-up anual vascular”, complementa. Conforme a cirurgiã, o aneurisma de aorta tem os mesmos fatores de risco que a dissecção aórtica. Quando há a fraqueza na parede do vaso, os pacientes desenvolvem o aneurisma. E se há uma ruptura em uma das camadas da artéria, a luz falsa pode ser formada, levando à dissecção. “O risco é maior para aqueles que têm aneurisma, do que para aquela pessoa que não tem nada – apenas os fatores de risco – ter uma dissecção; mas acontece”, finaliza.